Campanha Plantando Vidas incentiva recuperação da Amazônia e áreas atingidas por barragens

Foto: MAB

O índice de desmatamento na Amazônia no último ano é o maior da década, de acordo com o Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon).

Diante do quadro desolador, iniciativas de preservação da floresta tornam-se ainda mais necessárias e urgentes.

Somando forças nesse contexto, a Campanha Plantando Vidas tem como objetivo principal discutir e denunciar o desmatamento na região amazônica e nos territórios atingidos por barragens.

Foto: MAB

Realizada por KOINONIA e a ACT Aliança junto com o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Movimento República de Emaús e a Associação de Desenvolvimento Agrícola Interestadual (Adai), o projeto está revitalizando o viveiro de mudas da sede do Emaús, localizado no bairro periférico Bengui, em Belém (PA). A ideia é que essa e outras soluções possam ser transformadas em boas práticas capazes de promover a recuperação ecossistêmica dos biomas impactados pelo desmatamento e pelas obras das barragens.

Outra proposta de melhoria para o viveiro é a instalação de um sistema de produção de energia solar para a irrigação de uma horta orgânica comunitária. O uso de tecnologias alternativas para a geração de energia como a fotovoltaica tem como objetivo popularizar seu uso e promover nas regiões a discussão sobre o projeto energético popular.

No mês de setembro, no qual se comemora o Dia da Amazônia (05) e Dia da Árvore (21), serão realizadas outras ações relacionadas à temática ambiental a fim de estimular o envolvimento de organizações, universidades, associações locais, movimentos sociais e a sociedade em geral com o tema.

Com informações do MAB

 

Quilombo na Bahia realiza evento sobre educação ambiental

A preocupação com o descarte de resíduos e seu impacto ambiental esteve no centro da Caminhada Sagrada da Resistência, realizada em 23 de maio no Quilombo Pitanga de Palmares/Caipora, Bahia. Devido à pandemia, teve frequência reduzida.

O evento, apoiado por KOINONIA Presença Ecumênica e Serviço, foi aberto com a apresentação da Dança de São Gonçalo, manifestação cultural muito popular na Bahia, principalmente na região do Rio São Francisco e no Recôncavo Baiano.

Na sequência, foi apresentado um projeto de sustentabilidade e lançada a cartilha “Akoberê Aiyê – Princípio da Terra”, sobre meio ambiente e religiões de matriz africana.

“Foi fundamental a gente falar de educação ambiental, descarte do lixo, e sobre como nós, de terreiro, devemos fazer as oferendas sem impactar o meio ambiente”, destacou Iyá Jaciara, uma das organizadoras do encontro.

Representante de KOINONIA, Ana Gualberto lembrou de uma cartilha de Abassá de Ogum, que também traz práticas sustentáveis voltadas ao povo de terreiro. Em sua fala, aproveitou para exaltar os quilombolas presentes.

“Nesse mundo que a gente está vivendo, as pessoas fazem muita homenagem em memória. A gente precisa receber homenagem em vida também. É importante que, nesse espaço, a gente reverencie a ancestralidade, mas também valorize quem está na luta hoje”.

Após a Caminhada Sagrada da Resistência pelo terreiro e seus arredores, o evento foi encerrado com a plantação de folhas sagradas e a inauguração de cestos de lixo sustentáveis.

O Quilombo Pitanga de Palmares/Caipora se localiza no município de Simões Filho, Região Metropolitana de Salvador.

Confira algumas imagens feitas no evento:

*Créditos: Acervo Abassá de Ogum