reuniao subpref sao miguel fev

Atingido/as por enchentes da zona leste de SP se reúnem com Subprefeitura de São Miguel Paulista para discutir pautas e reivindicações

Por Coletivo de Comunicação do MAB São Paulo

Nesta segunda-feira 22/02, representantes da coordenação do MAB na zona leste de São Paulo se reuniram com membros da Subprefeitura de São Miguel Paulista para debater sobre a pauta de reivindicações dos atingidos na região. A reunião foi marcada após o ato do dia 28/01, dia no qual foi entregue a pauta.

Participaram da reunião o subprefeito de São Miguel Paulista, Ivaldo da Silva, seu assessor representante do governo do estado, assim como as coordenadoras e coordenadores do MAB na região.

Leia também: Dos efeitos das enchentes à organização para a luta: A trajetória das atingidas da Zona Leste de SP

O MAB reafirmou a lista de reivindicações das famílias atingidas, sendo: a realização de cadastro socioeconômico das famílias atingidas, reassentamento das famílias em situação de risco, limpeza e desassoreamento dos rios e córregos, revisão da infraestrutura, programa de educação ambiental, garantia de saneamento básico para todas as famílias, plano de segurança e contingência contra as enchentes e barragens, regularização fundiária, cestas básica de alimentos e higiene, assim como o acesso automático à Tarifa Social de Energia Elétrica.

A subprefeitura afirma que elaboraram um programa de ações preventivas, que incluiu plano de segurança e contingência das enchentes, e mapeamento socioeconômico das famílias, mas o MAB apenas teve acesso ao documento na reunião de hoje. Isto significa que o povo não teve participação desta elaboração. Também comentaram que já foram retiradas 7,4 toneladas de lixo, com limpeza dos córregos até a União de Vila Nova . Também afirmam que estão realizando obras de combate de enchentes, mas que a maior parte das ações não são de competência deles, e que não existem programas de reassentamento, nem da prefeitura, nem do governo do estado.

Quanto à Tarifa Social, também abdicam da posição e argumentam que não é competência da prefeitura. Também se comprometeram a visitar algumas comunidades junto à coordenação do MAB para fazer mapeamento da situação vivida pelas famílias atingidas.

“Nós do MAB vemos que, apesar da importância da reunião, o esforço da subprefeitura foi de retirar sua responsabilidade frente a grave situação pela qual as famílias atingidas pelas barragens e enchentes passam na região. Repetem-se os mesmos argumentos, de que são feitas obras, mas por coincidência nenhuma delas tem resolvido o problema até agora, e muito menos se comenta sobre a reparação das famílias atingidas que tem perdido muitos pertences durante as recorrentes enchentes e sofrem com abalamentos psicológicos. Acreditamos que a subprefeitura tem o dever de, junto à prefeitura e governo do estado, elaborar um plano de reparação e atender todas as demandas da pauta do MAB.

Não aceitaremos mais enrolação ou argumentos para tirar a responsabilidade, e seguiremos organizados e em luta para garantir nossos direitos.”

Atingidos em defesa da vida: #bastadeenchentes!

*Koinonia Presença Ecumênica e Serviço tem atuado junto ao MAB no apoio e fortalecimento de famílias e comunidades atingidas por barragens/ enchentes em São Paulo por meio de ajuda emergencial da ACT Aliança.

Comments are closed.