Fala-Egbe-39-edit

Fala Egbé n. 39 jan. 2018

Olhar as vitórias e avanços de ontem, mas de olho nos desafios de amanhã É um esforço fundamental para o início de 2018, ano de eleições. O ano de 2017 assistiu ao crescimento de atos de intolerância pelo país. Tanto os atos diretos de ódio religioso como os atos e ditos de agressão e racismo baseados na fé. Os números não mentem sobre isso e a soma dos casos é grave, causando mesmo mortes de pessoas – negras, religiosas, idosas, transexuais, gays – e famílias inteiras atingidas, entre adultos e crianças. Some-se a isso a confirmação do abandono pelo Estado, de territórios sob o poder do crime organizado e suas alianças econômicas, por vezes, pseudo-cristãos.

Capa

Fala Egbé n. 38 jun. 2017

Um giro pelas ações de KOINONIA, mostrando como elas têm sido pensadas a partir de nossos novos eixos temáticos. São eles: o transversal, “Ecumenismo, Superação da Intolerância Religiosa e Justiça de Gênero”; e os temáticos, “Direitos das Mulheres e da População LGBTT” e “Direitos das Comunidades Negras Tradicionais”.

Capa

Fala Egbé n. 37 dez. 2016

Neste número o Fala Egbé destaca as ações de KOINONIA junto às comunidades negras tradicionais em Salvador e no Baixo Sul da Bahia. Temos ainda duas páginas especiais. Uma com serviço sobre a rede de proteção à criança e ao adolescente na capital baiana e a outra com um passo a passo para a formalização de associações.

Fala Egbe 36 - Cores-1

Fala Egbé n. 36 set. 2016

O número 36 traz um retrato das ações de KOINONIA junto às comunidades negras tradicionais da Bahia, desde maio de 2016. Essa edição é dedicada às diferentes iniciativas da instituição na defesa dos direitos e no fortalecimento político de terreiros de Salvador e das comunidades quilombolas do Baixo Sul do estado. O grande destaque vai para as ações de incidência pública e projetos como o “Candaces” e o “Comércio com Identidade”, ambos voltados para a promoção da igualdade de gênero. O primeiro quer estabelecer uma rede de apoio de mulheres negras para mulheres negras, tendo como foco o enfrentamento às diversas formas de violência contra a mulher. Já o segundo aposta na inclusão produtiva de mulheres quilombolas criando circuitos de economia solidária a partir dos quais seja possível discutir caminhos para equidade nas áreas rurais. Por último, mas não menos importante, a nova edição tem o manifesto de KOINONIA frente ao momento de grave ameaça à democracia brasileira e aos direitos das populações vulneráveis.

Fala Egbe 34 - Cores-1

Fala Egbé n. 35 maio 2016

Até agora, o ano de 2016 tem sido marcado pela palavra crise. Infelizmente, para as comunidades negras tradicionais, passar por crises não é novidade. Nem superá-las! Nessa edição do Fala Egbé temos alguns dos resultados das ações de Koinonia junto às comunidades negras tradicionais, em especial, do projeto Axé com Arte, que teve como missão ampliar o acesso de integrantes de terreiros de candomblé de Salvador – em especial jovens -, à oportunidades de trabalho, melhoria de renda e a formas de defesa de seus direitos. Retornando ao tema da crise, o artigo “Lutar pelo Estado laico” trata do risco à liberdade religiosa no atual cenário político. Por fim, essa edição traz uma matéria sobre o projeto “Comércio com Identidade”, que busca fortalecer o comércio feito por mulheres quilombolas do Baixo Sul da Bahia. Todas essas leituras de alguma forma noticiam as lutas das comunidades negras tradicionais para superar mais uma crise. Confira!

Fala Egbe 34 - Cores

Fala Egbé n. 34 nov. 2015

O FE número 34 destaca a iniciativa da juventude baiana inter-religiosa de abraçar de vez o enfrentamento do genocídio de jovens negros no estado. Um dos primeiros passos nessa direção foi o encontro “A Bala não Escolhe sua Fé”, entre os dias 6 e 8 de novembro, em Simões Filho (BA). Esta edição também traz dois textos sobre a questão quilombola no Baixo Sul da Bahia: um artigo trata da ameaça da mineração, com seu enorme poder econômico, aos quilombos da região e uma matéria informa sobre o conflito envolvendo a comunidade do Barroso